sábado, 22 de maio de 2010

MINHA CASA MINHA DIVIDA

O governo está investindo alto em propaganda para ampliar a especulação imobiliária e endividar cada vez mais a população de baixa renda. São leilões da casa própria onde as empresas que especulam com o dinheiro público, arrecadam valores astronômicos na intermediação dos imóveis, cuja, vitima principal é a própria população pobre que acredita estar fazendo um grande negócio.

O Brasil é um país onde a economia é controlada por juros altos e arrocho salarial. O financiamento imposto pelo setor bancário está sujeito a essas variações, o aumento da divida publica, que a cada dia cresce de forma astronômica, vai se tornando uma bola de neve incontrolável. Quando ela se desmoronar, não terá ninguém que possa conter a decretação de insolvência da maioria dos que hoje se empolgam e investem seus últimos vinténs na aquisição da casa própria.

Os aloprados que defendem o governo, certamente vão questionar esse comentário. A rapinagem que eles aprenderam tão rápido os impõe ao delírio de achar que o Brasil está no trilho rumo ao paraíso, isso os leva a inconseqüência de comandar uma caminhada de homens e mulheres com olhos vedados em direção ao abismo da inadimplência total.

Embora os fundamentos da economia apontem sinais de robustez, ainda vale o velho dito popular que “caldo de galhinha e precaução não faz mal a ninguém”. Essa máxima que nós brasileiros conhecemos muito bem, deve servir de alerta para os menos desavisados quando pensarem em fazer coro com a propaganda institucional do governo e engordar as contas dos grandes especuladores imobiliários. Que se valendo do sofisma de Lula, empurra goela abaixo planos de financiamento sem a devida precaução com o futuro do nosso povo.

Não se trata de apostar no caos ou inibir o sonho da casa própria, na verdade temos apenas a intenção de alertar nossos companheiros para não se iludirem com esse engodo, digno de estelionato eleitoral. Forjado para condicionar os desprovidos de um local seu para morar, a trocarem esperança por voto, para tanto são levados investirem no escuro toda a sua economia e confiança, em um caminho sem volta e de difícil resgate.

Assim é que o governo pretende comprometer o nosso povo, vendendo uma ilusão em troca de fidelidade a um projeto que não considera sua política de juros altos feita para endividar os menos desavisados. O despotismo é tão rude que eles montam uma forte campanha de marketing para ludibriar os que precisam de imóvel próprio!

Não custa nada lembrar, foi à corrida imobiliária, que quebrou a economia americana e desencadeou a maior crise de liquidez que o mundo já testemunhou. Pense nisso antes de se endividar.

Élson de Melo – Sindicalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário