segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Frente povo sem medo: “Tomar as ruas para combater os ataques do capital ao nosso povo”

Por: Elson de Melo *

Manaus-AM – Aos poucos a esquerda socialista brasileira vai definindo uma estratégia de enfrentamento ao avanço da direita sanguinária que pretende a custa de todo tipo de manhas e artimanhas (boicotes econômicos, financiamento de grupos ultradireitista, campanhas midiáticas contra governos democráticos...) detonar o processo de aprofundamento da democracia no continente latino americano.

As constantes tentativas de interromper o avanço da democracia libertadora dos povos do continente, são atitudes do capital visando a manutenção da exploração capitalista, o acumulo de riqueza nas mãos de uma minoria imperialista e controlar o Estado para que o mesmo garanta as Leis que favoreçam os prazeres do capital, ou seja, lucro.

No Brasil desde sua redemocratização, o país já experimentou três governos, Sarney-Collor-Itamar, Fernando Henrique, Lula-Dilma. Nesse quase 30 anos, os resquícios da ditadura militar permanecem vivos, uma parte dentro do PSDB-PT-PTB-PP-PR-DEM e a imensa maioria sempre dentro do PMDB.

Com a chegada de Lula a presidência da republica, a expectativa era de que as populações subalternas seriam as grandes beneficiaria do propalado governo popular que chegou afirmando ‘a esperança venceu o medo’, no entanto, essa frase não passou de engodo para justificar o inicio da guerra fria entre PT X PSDB.

No centro das decisões da Nação, está sempre o PMBB dando as cartas e colhendo as propinas, esse partido é o legitimo representante da oligarquia cretina que se sustenta da especulação no campo, do controle da maioria das prefeituras e câmaras municipais, é maioria na Câmara Federal e no Senado.

O PT para tentar superar o PMDB e o PSDB, enveredou pelo mesmo caminho, primeiro tentou o mensalão, caminho trilhado pelo PSDB, foi dedurado e flagranteado, suas principais lideranças foram condenadas e presas. Depois resolveu experimentar o método do PMDB, arrecadação de propina através da maior estatal a Petrobras, usou para isso, os mesmos operadores do PMDB desde época do governo da ditadura militar e depois passando por Sarney, (Renato Duque, Pedro Barusco, Paulo Roberto Costa, Fernando Baiano, Alberto Youssef, Nestor Ceveró e as empresas Camargo Correia, UTC, MPE, OAS, Mendes Júnior, Andrade Gutierrez, Schahi, Odebrecht...) um verdadeiro batalhão de operadores.

Nesse processo, a direita sanguinária, consegue avançar obtendo um mínimo de simpatia até da classe média.  De posse desses prestigio, coloca suas garrar a prova e começa ameaçar com intervenção militar, impeachment da Presidente Dilma, uma avalanche de investidas tentando conseguir a hegemonia da sociedade brasileira.

Diante desse contexto, a esquerda socialista e aqui destaco a lucidez do PSOL que, embora tenha sido criado a partir de divergências profundas com o governo do PT, vem se comportando como só os verdadeiros revolucionários são capazes, manteve a coerência e é contra o impeachment da Presidente, nesse particular sempre afirmo “o PT nunca foi coerente com a esquerda, pelo contrário, sempre tentou isolar e impedir o avanço dos socialistas” completo afirmando, “no entanto, os verdadeiros socialistas sempre serão coerentes, principalmente quando a democracia corre perigo”.

A criação da Frente Povo sem Medo que é composto pelos principais movimentos populares e sindicais que se opõem aos inúmeros ajustes fiscais e econômicos desse governo, é o inicio de uma rearticulação da resistência popular que aos poucos começa a tomar dimensão nacional e logo será o principal referencial das lutas populares do nosso país.

Depois de muitas tentativas, a esquerda socialista, começa mostrar maturidade e inicia a construção de uma nova ferramenta que em breve vai empolgar os operários, camponeses, homens e mulheres, jovens e adultos para continuar a construção do Socialismo.

“Trabalhadores do mundo, uni-vos”
Viva o Socialismo!


* Elson de Melo é militante sindical