segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

PSOL Amazonas 2016: Candidatura própria para unir a esquerda e os descontentes

Por: Elson de Melo* - O Amazonas há 33 anos é governado pelo mesmo grupo politico. Quando Gilberto Mestrinho tomou posse em 1983 no governo do Amazonas, ele disse a celebre frase: “meu grupo vai governar o Amazonas por 20 anos”.

Passado 33 anos, o grupo da ‘maldição da rodela’ continua governando o Estado do Amazonas. A receita para eles se manterem por tanto tempo no poder é a mesma; corrupção, intimidação, cooptação e polarização, alia-se a isso a ausência de uma oposição consequente e determinada a romper com as amarras que esse grupo envolveu o nosso povo.

O único movimento de oposição que ameaçou esse grupo foi o “Muda Amazonas”, mas sucumbiu com a cooptação do seu principal líder Artur Neto que ao chegar a Prefeitura em 1988, pulou para o colo do velho caudilho Gilberto Mestrinho e, desde então, permanece fiel ao grupo da ‘rodela’.

O PT que em 1982 concorreu pela primeira vez ao governo com o professor Osvaldo Coelho, que em 1985 obteve mais de 11% de votos para prefeito com o professor Aloysio Nogueira, teve um excelente desempenho com a candidatura do médico Marcos Barros a governo em 1986, em 1988 lançou o advogado José Barroncas a prefeito, só conseguiu laçar mais uma candidatura própria ao governo com o então Vereador Aloysio Nogueira concorrendo ao cargo. Depois, e até hoje, o PT passou a ser um puxadinho do grupo da ‘rodela’.

Hoje estamos assistindo mais um episódio da polarização desse grupo com ele mesmo comandado por Eduardo Braga e José Melo, nessa versão, é possível constatar o quanto são envolventes e dissimulados. Simulam uma polarização com apelo midiático tão forte e envolvente que, até setores da esquerda socialista se sentem na obrigação de serem solidários com uma parte desse grupo (veja o episódio das notas na ALEAM) que, descaradamente os grupos esquerdistas, se escondem atrás de uma suposta onda de solidariedade e, sem nenhuma ressalva, declararam sua preferencia por um dos membros do grupo da ‘rodela’.

O PSOL que há 10 anos está presente no Amazonas estreou na disputa eleitoral, apoiando o camarada Herberte Amazonas (PSTU) para governo, depois lançou o professor Ricardo Bessa a Prefeito de Manaus e em seguida apresentou Carlos Sena ao governo EM 2010, em 2012 resolveu servir de puxadinho do PSB apoiando Serafim Correia a prefeito de Manaus.  Por oito anos o PSOL no Amazonas amargou as piores votações, um fiasco!

A saída é pela esquerda

Não vemos saída com os partidos ou pessoas remanescentes do grupo da ‘maldição da rodela’! Foi por pensar assim e preocupados com o fraco desempenho do PSOL nas eleições anteriores e, visando construir uma alternativa capaz de se contrapor objetivamente ao grupo da ‘rodela’, que nós militantes do PSOL Amazonas (Unidade Socialista - US), rompemos todos os entraves burocráticos e boicotes internos, e, lançaram a candidatura do ex-deputado Abel Alves ao governo do Amazonas em 2014, enfrentamos uma luta desigual em todos os aspectos, primeiro o forte boicote de parte das tendências interna do partido, depois a forte polarização entre os dois candidatos do grupo da ‘rodela’ [Eduardo e Melo], essas duas candidaturas eram poderosas economicamente, que conseguiram agregar outras candidaturas a governo, para servir de apoio ao seu projeto. Abel Alves e o PSOL/AM mesmo com as limitações permaneceram firmes e conseguimos tirar o partido do rol de partidos nanicos. Com a candidatura do Abel, conseguimos quadruplicar a votação do PSOL para governador do Amazonas, melhoramos todas as outras votações que nas eleições anteriores eram deploráveis.

Aproximam-se as eleições de 2016 para prefeitos e vereadores. Dentro dos interesses eleitorais de pessoas e partidos remanescentes do grupo da ‘rodela’ não faltarão propostas imediatistas tentando fazer acreditar que suas ideias são contrarias aos de Eduardo Braga, José Melo, Omar Aziz, Artur Neto, Amazonino Mendes e Alfredo Nascimento (todos do grupo da 'rodela'). Na politica, isso é muito natural, como é natural também, avaliarmos com toda pericia os propósitos desses pretensos opositores, no entanto, acho importante que, o PSOL pelo seu potencial, deva apenas se concentrar em oferecer aos amazonenses da capital e do interior, um projeto estratégico se superação desse grupo da ‘rodela’.

Dentro desse proposito, mais uma vez, os militantes da Unidade Socialista, vão se empenhar na construção de candidaturas próprias em Manaus e nos municípios do interior. As narrativas históricas, dão conta que, a maioria dos pretensos candidatos a prefeitura de Manaus, são remanescentes do grupo da ‘rodela’, da mesma forma, a maioria apoia o prefeito Artur, o governador caçado Melo ou o Ministro Braga e o ex-prefeito Alfredo Nascimento, portanto, todos estão comprometidos com mesmo sistema que há 33 anos comanda a politica no Amazonas. Apoiar um deles é continuar levando o nosso povo ao sofrimento.

A Candidatura do PSOL a ser construída, precisa e deve atender a um projeto de união da esquerda socialista no Amazonas, precisa ser capaz de unir os descontentes com esse modelo podre cultivado pelo grupo da ‘rodela’. Assim, os militantes da Unidade Socialista-por um PSOL popular, não medirão esforços para dar continuidade ao projeto iniciado em 2014, qual seja, construir o projeto de poder popular e libertar o Amazonas das garras dessa oligarquia corrupta (grupo maldição da rodela) que governa o Amazonas há 33 anos.

Viva o PSOL popular!
Viva a esquerda socialista!

*Elson de Melo é militante do PSOL Amazonas