quinta-feira, 23 de julho de 2015

Eleições 2016 em Manaus: a necessidade de um novo Bloco Histórico

Por Elson de Melo* – Há um ano das eleições que vai eleger o novo Prefeito e Vereadores de Manaus, as articulações em torno da sucessão, segue a mesma rotina das eleições anteriores, ou seja, o grupo que domina a politica local, mais uma vez, se divide tenta polarizar entre seus membros para manter a hegemonia politica local.

O Prefeito Artur Neto (PSDB) que atualmente se alinha a fração do Governador José Melo (PROS) e do Senador Omar Aziz (PSD), vai tentar a reeleição, no entanto, especula-se que haverá nesse mesma fração, outras candidaturas como as do Vice-Governador Henrique Oliveira (PS), Deputado Serafim Correia (PSB), Nejmi Aziz (PSD), Deputado Alfredo Nascimento (PR), Deputado Pauderney Avelino (DEM)  e o ex-Deputado Marcelo Ramos sem partido.

A outra fração, liderada pelo Ministro Eduardo Braga, além de manter nos Tribunais, o terceiro turno da eleição de Governador, especula-se a candidaturas do próprio [Braga] (PMDB), Do Deputado Hissa Abrão (PPS), Rebeca Garcia (PP), Praciano ou José Ricardo (PT) e no caso de Eduardo não ver possibilidade de vitória, o PMDB vai lançar o Deputado Marcos Rotta.

Esse Grupo polarizado entre seus membros manipula a maioria dos Partidos organizados no Amazonas, no momento, estão fora desse bloco apenas o PSOL, PSTU, PCB e PMN.

Diante desse cenário, faz-se necessário que se articule um bloco alternativo, capaz de apontar a população de Manaus, uma nova proposta de governo, para tanto, é preciso unir os partidos políticos independentes, os Movimentos Sociais populares e todos os lutadores sociais que estão descontentes com essa forma politica que domina o Amazonas há tempos.

A tentativa dos grandes partidos isolarem os Partidos da esquerda socialista, precisa ser combatida em diversas frentes, e, uma delas é a eleitoral. No caso especifico das eleições de 2016, o PSOL precisa apresentar a sociedade local, um programa democrático popular, e articular com os pequenos partidos, as organizações populares, sindicais e lideranças comunitárias, a criação de um bloco para além das eleições.

A função desse bloco dentre outras é, articular e consolidar coletivamente, um programa governo, que solucione os problemas crônicos da capital amazonense, um projeto que se privilegie a inclusão social das pessoas vulneráveis capaz de contrapor-se aos projetos pessoais das candidaturas que disputam no grupo dominante o controle da maquina estatal.

O PSOL é um Partido Socialista que escolheu disputar os espaços institucionais dentro da ordem capitalista, essa opção tática, nos leva a enfrentar essa tentativa de isolamento com inteligência, nossa bancada na Câmara Federal, se articula com as bancadas dos paridos atingidos pela tentativa de mordaça dos pequenos partidos para barrar essa ofensiva conservadora.

No campo eleitoral, precisamos ser ousados e, da mesma forma, articular blocos envolvendo partidos independentes e lideranças com um mínimo de afinidade a um projeto popular democrático, capaz de avançar na conquista de espaços institucionais, fortaleça e impulsione as lutas históricas da classe trabalhadora.

Com esse proposito, estamos promovendo uma serie de reuniões com dirigentes partidários visando articular um novo bloco histórico, capaz de interromper a hegemonia desse grupo da maldade que domina a politica local.


*Elson de Melo Presidente é Estadual do PSOL Amazonas 

Nenhum comentário:

Postar um comentário