quarta-feira, 6 de junho de 2018

Presidente Temer é "Persona Non Grata" na Zona Franca de Manaus e no Amazonas

Elson de Melo
Manaus - 06/06/2018

A Medida provisória e o decreto presidencial do presidente Temer que concede subvenção, com recursos do Orçamento Geral da União, para o óleo diesel produzido e importado, comercializado no Brasil, afeta diretamente os incentivos do polo de concentrados da Zona Franca de Manaus, ameaça mais cem mil empregos diretos e indiretos na cadeia produtiva só no Estado Amazonas.

Segundo estudo feito pela SUFRAMA – Superintendência da Zona Franca de Manaus, existe a hipótese do fechamento do segmento de concentrados do PIM – Polo Industrial de Manaus que afetará diretamente a cadeia produtiva do setor produtivo do guaraná e a produção de açúcar, empresas como a Agropecuária Jayoro no Município de Presidente Figueiredo que além de ter o maior plantio de guará individual do Amazonas é também a única fabrica de açúcar que produz o açúcar mascavo para a Coca-Cola no Estado e emprega diretamente mais de mil trabalhadores, a paralisação de uma empresa desse porte, afeta diretamente a vida de toda população do Município. 

A produção média do Polo de Concentrado do Amazonas gira em torno de 80 mil toneladas por ano e conta com 26 empresas instaladas no PIM – Polo Industrial de Manaus.

A indústria de concentrados é o setor do PIM – Polo Industrial de Manaus que pode fazer uma ligação mais efetiva da Zona Franca de Manaus com o interior do Estado. 

Hoje empresas como Ambeve que está instalada em Maués produzindo mudas de guaraná e incentivando o plantio da espécie naquele município que coletivamente é o maior produtor do Amazonas, a Coca-Cola através da Recofarma e Jayoro que plantam e industrializam a cana de açúcar e o guaraná em Presidente Figueiredo, são responsáveis por milhares de empregos diretos e indiretos no Amazonas, só para exemplificar o potencial do polo na economia do Amazonas.  

É importante registrar que a produção de grãos do guaraná no Amazonas, não atende a metade da demanda das indústrias de concentrados do Amazonas, a maioria dos grão, vem do Estado da Bahia. Temer com a sua pavorosa MP, fere de morte, o único setor da Zona Franca de Manaus, que gera trabalho e renda no interior do Amazonas, prejudicando não só presente, mas o futuro do nosso povo.

Temer ao editar o decreto presidencial reduziu de 20% para 4% a alíquota do IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados sobre os concentrados de bebidas não-alcoólicas (refrigerantes e sucos), na pratica, inviabiliza as indústrias desse setor da Zona Franca de Manaus que perdem competitividade para os fabricantes de bebidas fora do Amazonas.

Temer com outras medidas fiscais anteriores a esta, já causou uma grande onda de desemprego em Manaus, agora com essa MP e o decreto presidencial, promove mais desemprego em todo o Estado do Amazonas.

Diante de tamanha estupidez do decreto presidencial que vai acabar com mais cem mil empregos o Estado, consideramos o Presidente Michel Temer “Persona Non Grata” no Amazonas, inimigo da Zona Franca de Manaus e da Classe Trabalhadora amazonense.

Elson de Melo é sindicalista e militante do PSOL 

Um comentário:

  1. Muito boa análise meu camarada Elson Melo! Ass: Mário Lúcio - pres. Psol Manaus

    ResponderExcluir