sábado, 3 de janeiro de 2015

As tarefas do PSOL para 2015

Por Elson de Melo*

As afirmações da Presidente da Republica, Governadores e Ministros empossados, é um mantra! Repetidas muitas vezes, cansamos de ouvir frases informando que a economia vai mal e que ações austeras serão tomadas para recupera-la, na área politica a reforma politica é anunciada mais uma vez pela Presidente como a grande panaceia que eliminará todos os males do sistema politico vigente. Para os trabalhadores sobrou o fardo pesado de pagar as contas decorrentes da má gestão governamental e desde o descobrimento do Brasil.

Na segunda-feira (2912.2014) a Presidente Dilma edita seu pacote de maldades, cuja principal vitima é a classe trabalhadora brasileira. As medidas do pacote ‘Vaca Tussa’ impõem aos assalariados medidas restritiva de acesso aos benefícios previdenciários como:

ABONO SALARIAL: ao invés de trabalhar apenas 1 mês e ganhar até 2 salários mínimos para receber este benefício, o trabalhador terá que trabalhar por, pelo menos, seis meses seguidos com carteira assinada!

SEGURO DESEMPREGO: antes, o trabalhador podia solicitar o seguro-desemprego após trabalhar 6 meses, agora, será preciso trabalhar 18 meses, ou seja – um ano e seis meses!
AUXÍLIO DOENÇA: o prazo de afastamento a ser pago pelo empregador era de 15 dias. Agora, passará a ser de 30 dias!

PENSÃO POR MORTE: o benefício era de 100% do vencimento e passará a ser de 50% mais 10% por dependente. Além disto, não havia necessidade de contribuição mínima para receber o benefício. Agora, será necessário comprovar o pagamento de 24 meses de contribuição previdenciária, ou seja – só com dois anos de contribuição para a previdência!

Esse pacote ‘Vaca Tussa’ é a maior contradição da Presidente Dilma que em campanha afirmou categoricamente que não mexeria em conquistas trabalhistas “Nem que a vaca tussa”. Há dois dias antes da posso de Dilma para o segundo mandato, a vaca tossiu, arrotou, vomitou e cagou na cara dos trabalhadores brasileiros!

Para os trabalhadores do campo a Presidente Dilma ofertou sua afilhada Kátia Abreu como Ministra da Agricultura, sinal de mais violência no campo, cuja vitimas serão Índios, posseiros, liderem sindicais, religiosos das pastorais da terra, ambientalistas, militantes da esquerda socialista, a floresta e fauna.

Combater essas maldades é tarefa do PSOL

O PSOL é atualmente o maior partido da esquerda socialista brasileira. No segundo turno das eleições o partido assumiu uma posição clara de combater o avanço da direita retrógada ao recomendar o não voto em Aécio, mas também não afirmou apoio ao Dilma, porem, lideranças expressivas do PSOL a nível nacional declararam voto a candidata do PT. No Amazonas, o partido optou pela neutralidade no segundo turno das eleições local e assumiu o compromisso de comandar o sentimento de oposição do povo amazonense.

Agora é importe e urgente que o partido defina de imediato um calendário de atividades publicas que responda com nitidez os anseios populares decorrente das frustrações que já começaram e que vão se acentuarão no decorrer dos mandatos tanto da Presidente, como do Governador e Prefeitos.

Para organizar essas tarefas, apresento para os camaradas do partido no Amazonas, uma pauta mínima a ser encaminhada pelo PSOL:

·         Mobilização da Reforma Política;
·         Participação no Fórum Social Mundial da Biodiversidade que acontecerá em Manaus de 26 a 30 de janeiro de 2015;
·         Organizar o movimento de luta pela tarifa zero nos transportes públicos;
·         Organizar o movimento de luta dos trabalhadores contra as medidas que arrocham salários e subtrai direitos dos trabalhadores.

Entendo que existem outras pautas, mas seja qual for, é hora do partido assumir de fato a verdadeira oposição ao governo Federal, Estadual e Municipais. O PSOL tem lado e firmeza de proposito. Nosso lugar é ao lado dos trabalhadores.


*Elson de Melo é Presidente do PSOL Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário