segunda-feira, 12 de abril de 2010

MENOS CAMARADAS!

Por Elson de Melo
Manaus,12/04/2010

Enquanto PT e PSDB preparam gigantescos banquetes para seus candidatos, o PSOL é arrastado pela sua própria incompetência junto com as enxurradas que devastaram o Rio de Janeiro nos últimos dias. Depois de sábado, fiquei a procura qual termo usar para qualificar tamanha discrepância, fiz uma verdadeira tempestade de idéias para escolher um, não consegui. Então resolvi elencar todas e, quem quiser adote uma, então vamos a elas: basbaquice, idiotice, tolice, maluquice, burrice, canalhice...

A infinidade de termos que se possa relacionar é muito pouco diante do ridículo papel que as mais de quinze facções protagonizaram durante o processo de escolha do nosso candidato a Presidente da Republica. É preciso um estomago de urubu para não sentir náuseas diante desse comportamento fétido que a Direção Nacional do Partido borrifou na cara dos militantes e na consciência dos eleitores brasileiros.

Não vejo nada de positivo no comportamento dos partidários de Plínio, Babá e Martiniano. Não é a honra de nenhum desses grupelhos que está em jogo. É a estrada que até o presente momento os lutadores do socialismo construíram que começa a ser interrompida, pela falta de um verdadeiro e responsável compromisso de quem se reveste de Direção do Movimento Socialista e se comporta como se estivesse dirigindo o seu clube de amigos ou de apaniguados.

“Hei de endurecer, porém, perder a ternura jamais!”

Thê, não declarou em vão essa celebre frase, é o retrato falado de um lutador revolucionário, é a maior declaração de principio que os socialistas não devem esquecer jamais. É com essa esperança que chamo ao bom censo os dirigentes das correntes interna do PSOL, o que foi feito está feito, no entanto, ainda a tempo de corrigir, sem o que é melhor não entrarmos em campo para jogar uma partida sem o time estár completo.

É hora de apaziguar os ânimos, colocar a cabeça no lugar, refletir além dos objetivos particular do seu grupo, só assim é possível fazer auto-critica e constatar, o quanto poderia ser diferente o nosso caminhar, de como é fácil os iguais se comporem, e, como é importante a união dos verdadeiros lutadores socialistas para enfrentar o julgo do capital. Se você faz parte desse time, então renuncie a intolerância, a prepotência, a vaidade. Busque construir a unidade do movimento e do PSOL.

Camaradas filiados ao PSOL, não importa a qual agrupamento interno você pertença, entendam pelo amor a luta histórica dos trabalhadores que, nós não somos maiores nem menores que o Partido, nós somos o PSOL! A paridade de compromisso é para todos nós. O socialismo não é obra desses ou daqueles dirigentes, só o esforço coletivo nosso é capaz de construir ou destruir essa nova sociedade.

Confesso que tentei passar ao lado dessa contenda, contudo, seria omisso se não contribuísse dando a minha opinião, ou mesmo fazer esse desabafo. Aceitar calado as injustiças ou mesmo os equívocos seja lá de quem for, não faz parte do meu caráter, meu compromisso com a luta pelo socialismo está acima das particularidades de grupos.

Élson de Melo – Sindicalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário